Esqueceram de Nós – a Vila das Crianças
Categoria: Blog, Educação

O Canal gnt está reprisando um reality show, que foi ao ar em outubro, chamado “Esqueceram de Nós – a Vila das Crianças”. A série mostra a rotina de crianças de 8 a 11 anos, divididas em dois grupos. De um lado estão dez meninos, do outro dez meninas. Ambos passam duas semanas sem a supervisão dos pais, vivendo em uma vila e responsáveis por si próprias.

Assisti ao primeiro episódio por sorte, pipocando entre os canais na hora do almoço. Eu geralmente tenho pavor dos reality shows, mas achei a proposta deste muito interessante. As crianças agem naturalmente e as observando sem as interferências de adultos, fica mais fácil entender um pouco mais sobre o seu comportamento e como funciona o seu pensamento. Para os pais não deve ter sido muito fácil ver de longe as situações difíceis pelas quais seus filhos e filhas passaram, mas acho que o resultado da experiência, para as crianças, apesar de sofrido no início, foi bastante produtivo.

Neste primeiro episódio que vi, as crianças recém tinham chegado às casas. O maior problema entre as meninas era o da convivência. A crueldade entre elas foi bastante perceptível. Logo se formaram grupinhos, algumas foram excluídas e aconteceram muitas brigas por disputas e vaidades. Algumas assumiram mais tarefas na casa; outras não fizeram muita coisa.

Na casa dos meninos a situação era bem diferente. A maioria deles estava chorando e implorando para ir embora. As meninas demonstraram ser muito mais independentes e autônomas do que os meninos. Eles estavam passando fome, pois não sabiam cozinhar. A casa estava virada em uma imundície, pois ninguém havia recolhido o lixo e nem lavado a louça. Um dos meninos acabou indo embora, porque não conseguiu aguentar. Sua mãe deu um depoimento, dizendo que as mulheres sempre reclamam que os maridos não ajudam em casa, que não sabem cozinhar, nem lavar e passar. Naquele momento ela estava se dando conta de como ela estava contribuindo para esta situação, da qual também não gostava. Conseguiu perceber algumas falhas na educação do seu filho e como ele era dependente dela, não conseguindo ficar sozinho.

Hoje consegui assistir ao terceiro episódio. As crianças estavam acampando. Às meninas foram entregues duas galinhas e dois coelhos mortos, que deveriam ser preparados para o jantar. Se não conseguissem preparar as carnes, passariam fome. Se eu estivesse lá, também morreria de nojo, mas foi muito interessante observar o desenvolvimento do processo de assimilação da situação e como, aos poucos, foram conseguindo enfrentar a situação. Depenaram as galinhas e cortaram as cabeças com um machadinho. Mas o mais difícil deve ter sido tirar a pele do coelho. E elas tiraram! Depois assaram as carnes e comeram. Já os meninos tiveram que pescar o jantar. Bem menos nojento, mas um bom exercício de paciência. Também deu tudo certo. As experiências, tanto no acampamento dos meninos como no das meninas, mostrou como situações de adversidade tem potencial para unir grupos. Foi neste acampamento que todos os conflitos, à custa de algumas conversas, foram resolvidos.

O episódio terminou com uma festa na casa das meninas, para a qual os meninos haviam sido convidados. Muito engraçado! Durante os preparativos, estavam todos preocupados com a aparência e se haveria alguma menina ou menino bonito. Quando os meninos chegaram, as meninas foram se esconder nos quartos. Depois houve um curto momento de convivência e apresentação, mas logo em seguida a festa se transformou num corre-corre no pátio e as meninas deram um pau nos meninos, que acabaram voltando pra casa deles.

Amanhã às 12 horas irá ao ar o último dos quatro episódios, mas infelizmente não poderei assistir. As meninas irão morar com os meninos.

Um comentário

  1. alice disse:

    adorei essa serie! tb perdi um episódio (o do acampamento), mas estão todos no youtube. muito interessante que, por mais espontâneo q seja, muitos comportamentos ali já reproduzem certos preconceitos da sociedade. tomara q os pais tenham sabido conduzir melhor os filhos depois do programa, como essa mãe fez! (mas desconfio q alguns deles n viram nada demais no comportamento problemático dos filhos, infelizmente)

Deixe um comentário