Bayern
Categoria: Deutschland, Viagem

A família alema que me hospedou em 2000, quando fiz o intercâmbio para Alemanha com o colégio, me convidou para passar a Páscoa com eles. A viagem de Dresden até Kaufbeuren, cidade que fica próxima ao vilarejo onde moram, leva em média umas sete horas. Como eu ia estar liberada a partir quarta-feira de tarde e no caminho passaria por München, resolvi dar uma paradinha pra conferir a cidade da Oktoberfest.

München
Cheguei em München na quarta-feira de noite, fui direto para o Albergue da Juventude e dormi. No outro dia de manha tomei café, comprei um mapa – com um mapa na mao se chega em qualquer lugar na Alemanha!- e fui ao encontro da guria que me hospedaria na noite seguinte. Exercitar a confianca no próximo é um dos temas a serem colocados em prática durante minha estadia na Alemanha. Conheci a Katharina Lepik no Hospitality Club, que é um site de hospedagem solidária. Ela estuda fotografia em München e por isso achei que seria legal ficar com ela. Muito mais pela companhia do que pelos 25€ que economizei nao dormindo mais uma noite em um hostel. Nos encontramos na estacao da universidade e fomos até a casa de estudantes onde ela mora. Tomamos um café no terraco, conversamos um pouco, deixei minha mochila no seu quarto e saí para conhecer a cidade.

Englischer Garten
Bem pertinhho da casa da Katharina fica o Englischer Garten, que é um parque enorme, super bonito e com algumas curiosidades… O parque tem grandes áreas verdes e, quando tem sol e é quente, o pessoal se joga na grama pra tomar banho de sol. Tem gente que caminha no parque de pé no chao e nos gramados tem gente de biquini, sunga e até gente sem roupa nenhuma. Isso mesmo!! O estado de Bayern é o mais rico, mais católico e tido como um dos mais conservadores estados alemaes, mas no parque, o pessoal pode ficar pelado. Nao bastasse isso, no meio do parque correm alguns riosinhos que, por incrível que pareca, sao limpos e o banho é liberado. Tem mais uma coisa muito interessante que acontece lá… Em uma das entradas do parque, a água de um dos riosinhos chega com muita forca e tem uma gurizada que vai com prancha pegar onda. Ao redor do local tem várias placas proibindo o banho e o surfe naquele lugar, porque é perigoso, mas surfar no Englischer Garten parece já ser tradicao. O pessoal encosta o carro na calcada, coloca a roupa de borracha e entra na fila. Tem gente que chega de bicicleta e por isso, às vezes na rua, se vê alguém andando de bicicleta com uma prancha embaixo do braco. A cena é estranha, porque em München nao tem praia. O pessoal aqui em Dresden disse que Bayern nao é Alemanha e que München nao é Bayern.

Exposicoes
Como eu nao tive muito tempo, tive que fazer uma selecao do que ver, já que também queria andar pela rua e bater algumas fotos. Na quinta-feira fui na Pinakothek der Moderne, que fica em um prédio de vidro tri bonito. Lá visitei uma exposicao com fotografias de Zoe Leonard, outra de desenho que tinha a linha como fio condutor da curadoria, pinturas a partir dos modernistas e a mais interessante de todas, uma exposicao fotográfica de um arquiteto-fotógrafo chamado Klaus Kinold. Eram fotografias que ele fez durante excursoes a casas e prédios em vários lugares do mundo projetados por grandes arquitetos.

Na sexta-feira fui na Haus de Kunst – um imponete e gigantesco prédio construído pelos nacionais-socialistas. Das quatro exposicoes que estavam em cartaz, visitei apenas duas. A primeira delas foi de fotografias do William Eggleston, que pelo nome eu nao sabia quem era, mas depois reconheci uma foto, que é capa do catálago Cruel and Tender. Ele trabalha com a idéia da câmera democrática e registrou o cotidiano de estados do sul dos EUA. A outra exposicao que visitei foi do Gerhard Richter. Ela foi importantíssima para o desenvolvimento saudável da minha relacao com a pintura, especialmente a pintura abstrata. Grandes pinturas a óleo sobre tela. Pinturas fora de foco. Pinturas figurativas fora de foco? Legal. Pinturas abstratas fora de foco? Genial.

Germaringen
No final da tarde de sexta-feira segui viagem pro sul, onde a programacao foi mais caseira. No sábado e noite comemos um churrasco alemao, mas no domingo de Páscoa, um churrasco de verdade! Antes da recompensa, o trabalho… No domingo de Páscoa existe a tradicao de acender fogueiras (provavelmente para dar um fim nos galhos secos do inverno) e o Josef era o encarregado. Pelo ritual, eu quis ir junto. Acordamos às 3h30 da manha e fomos para frente da igreja fazer a fogueira. Depois deste pequeno ritual teve uma missa. Perguntaram se eu queria ir junto e, como eu já estava lá mesmo, fui. Na pior das hipóteses eu treinaria meu alemao… Tava super frio, a missa durou uma hora e meia e eu estava morrendo de sono. Paguei todos os meus pecados e acho que ainda fiquei com crédito!

Na segunda-feira fomos fazer o passeio preferido do Josef: ir de carro até os Alpes na Áustria. A estrada e a paisagem sao lindas e por lá ainda conseguimos encontrar neve. Almocamos no último vilarejo onde se consegue chegar com carro. Comi um prato com carne de veado, geléia de mirtilo, spätzle e repolho roxo. Achei o sabor da carne muito parecido com o sabor da de gado, mais especificamente músculo na panela.

Na terca de manha ainda tive tempo de andar um pouco de bicicleta com as criancas. Percorremos o caminho que passa no meio do campo e liga um vilarejo ao outro. No meio deste campo há uma piscina pública que foi simplesmente construída no meio do campo, sem nada a mais. Eu estava sem a câmera, mas as fotos que fiz ficaram muito boas! Depois disso ainda conseguimos dar uma passeio rápido por Kaufbeuren onde almocei um prato de aspargos, que sao típicos nesta época do ano.

De volta a Dresden
A viagem de volta pra casa deveria durar 7 horas, mas por motivo desconhecido houve muito atraso nas linhas férreas e durou 11 horas. Como o primeiro trem atrasou, perdi o segundo e daí tive que ficar esperando na estacao. Depois tive que ficar esperando dentro do trem. Entao, dois ônibus vieram buscar o povo e levar até uma outra estacao mais adiante. Quando isso aconteceu já era tarde e ninguém sabia dar uma orientacao exata. Desconforto e inseguranca. Quando cheguei em casa, caí na cama e apaguei. Apesar do final nao-feliz a viagem foi ótima! Nao quero que fiquem com uma impressao equivocada…

Um comentário

  1. Hedy disse:

    Julia, nao sei se vou conseguir postar meu comentario! Muenchen foi um lugar que eu sempre ia, desta ultima vez nao deu tempo, ainda tenho uma prima morando em Kaufbeuren… O que me chamava atenção nos bayern eh que eles comem pao branco e massa, diferente dos outros lugares da Alemanha. Tu comeste veado mesmo ou vitela? Corajosa! Aqui eh feriado… Beijo, Hedy.

Deixe um comentário